sábado, 22 de agosto de 2015

A cidade muda

  

A cidade muda é povoada de nada: nada de calor humano, nada de animais, nada de flores. Suas árvores choram suas copas verdinhas quando recordam os velhos violeiros. A cidade muda adoeceu.


15 comentários:

  1. Triste cidade e dela,quero DISTÂNCIA,rs bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Tudo muda!
    Adorei ler. Parabéns

    Beijo
    Bom sábado.
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Que triste!
    Embora possa até ser que seja assim, que pena né mesmo?
    Abraços amiga Dorli!

    ResponderExcluir
  4. Ótimo sábado, Dorli!!!!!!!!!!!! Bjkssssssssssss

    ResponderExcluir
  5. Oi Dorli,você sabe que já conheci uma cidade assim?
    E não foi tão longe de São Paulo,parecia uma cidade fantasma,não havia absolutamente nada.
    Adorei,pois é pura realidade,mas muito triste.
    Bjs e obrigada pela visita.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carmem,
      São cidades acometidas de grande pestes, na minha cidade houve a peste de febre amarela, isso meus pais nem tinham se nascido que a cidade quase morreu, até um padre enfermeiras e doentes eram amontoados num lugar alto da cidade.
      Quase ficou totalmente vazia.
      Dorli

      Excluir
  6. Olá, querida Dorli
    Estou gostando muito do seu estilo próprio de escrever contos... Muito original e com mensagens edificantes e verdadeiras...
    Sintetiza muito bem várias situações... maravilha!
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  7. Porque não fala a cidade?

    Ausência de pessoas?

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah! Poetisa
      Tá de brincadeira.kkk
      Beijos linda
      Dorli

      Excluir
  8. Me lembrou as cidadezinhas pacatas, lá pelo nosso lado das Minas Gerais! Aos domingos quase não se vê ninguém, principalmente em época escolar, em que a maioria dos jovens estudam fora!
    Um beijão e um ótimo sábado Dorli!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  9. As cidades atuais, apesar do infernal barulho
    que apresentam, são quase totalmente mudas.
    Faltam-lhes, não apelos de camelôs, mas diálogos
    humanos entre vizinhos, falta-lhes o alarido dos passarinhos, falta-lhes calar a voz da TV, que só
    anuncia crimes, e se ouvir a voz de empregadas
    domésticas cantando (sim, elas cantavam!).
    E as cigarras anunciando o fim da tarde?
    Onde estarão? Nestas cidades mudas
    até as emissoras de rádio AM fazem falta.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Oi querida amiga Dorli, adorei!
    Vim lhe desejar um ótimo final de semana, beijos e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  11. Dorli, as vezes até mesmo as grande e desenvolvidas cidades ficam assim mudas, por falta de companheirismo entre as pessoas. É triste mas é verdade. Um abraço amiga. Gostei de te ver no seu novo perfil. Bjs

    ResponderExcluir
  12. Dorli, as pessoas não tem mais o carinho e calor humano que vimos há anos atrás, por outro lado, há quem se feche e emudeça... muito vai do olhar de quem vê (e sente). Ótimo domingo!

    ResponderExcluir
  13. Tem lugares que o melhor mesmo é ficar em casa. Conheço algumas que me dão medo rs
    beijogrande

    ResponderExcluir