segunda-feira, 5 de outubro de 2015

O vazio dói


vazio

Foi numa noite chuvosa, chegando de viagem de núpcias, ao descer do carro defronte nosso ninho de amor você caiu. Gritei alto, vizinhos chegaram e chamaram a ambulância. Fiquei atordoada, sentei na grama e via pessoas massageando seu coração, a última coisa que ouvi foi a sirene da ambulância.
Os vizinhos conversavam comigo; adentrei-me a nossa casa,vesti-me de noiva, tomei um cálice de vinho e fiquei em devaneio. Senti um vazio naquela casa e fui levada ao velório. Chorei muito um amor que estava só começando.Como o vazio dói!


17 comentários:

  1. Esse vazio deve ser bem doído,acontecer a morte do amado na volta da viagem de núpcias.
    Muito triste.
    Bjs Dorli.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  2. Mas que tragédia pior não podia ser.
    Um abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Que tristeza! Pobre noiva! beijos,chica

    ResponderExcluir
  4. Que loucura, forte demais.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  5. Um conto triste e bem costurado... Tadinha da noiva... Vc como sempre arrando nos contos.
    Bo semana Dorli!

    ResponderExcluir
  6. Coitada que tristeza!! Quando chega a hora...
    Beijos amiga!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  7. Very sad. I hope you have a good week, Dorli!

    ResponderExcluir
  8. Muito triste, um amor que mal começou, coitada da noiva!
    Belo e triste conto amiga Dorli!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Meu Deus, que coisa mais triste Dorli.

    Uma história e tanto muito boa,e macabra ao mesmo tempo.

    Um abraço amiga!

    Maria Machado

    ResponderExcluir
  10. O vazio dói tanto que, nem que tenhamos outras coisas que nos possam fazer feliz, nem isso vimos .. adorei

    Beijinho

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  11. Oi querida amiga Dorli, adorei o post!
    Vim lhe desejar uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  12. Muito triste. Tenho uma prima com 50 anos que nunca casou. Quando tinha 23 anos, ia casar, com um jovem de 27. No dia do casamento o noivo morreu no altar, quando ela ia a caminho da Igreja. Sentiu-se mal, caiu, chamaram a ambulância mas não houve nada a fazer. Rebentou um aneurisma, que ninguém sabia que ele tinha. Chegou ao hospital já morto.
    A minha prima ficou tão traumatizada que nunca mais pensou em casamento.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
  13. Realmente triste! Coitada da noiva.
    O vazio dói muito!
    Adorei,beijos.

    ResponderExcluir
  14. Dorli...
    Uma árvore em flor fica despida no outono. A beleza transforma-se em feiúra, a juventude em velhice e o erro em virtude. Nada fica sempre igual e nada existe realmente. Portanto, para aqueles que amam,o vazio existem simultaneamente na vida daquela ou daquele a quem perde em uma fatalidade um grande amor.

    Como sempre, vc esta a nos surpreender com seus contos e dizeres, sejam eles poéticos ou contos reais. Estes por si estão sempre a nos dar base para um novo aprendizado, de que tudo nesta vida é transitório...
    Bj de carinho, tenha uma ótima e abençoada semana.. Querida amiga!

    ResponderExcluir
  15. Olá Dorli! Como sabes, nada é para sempre. Cada criação tem a sua missão. Para ele, a lua de mel foi o final de tudo que lhe foi determinado. Lindo conto, embora com final triste.

    Obrigado pela visita e amável comentário deixado no nosso Arte & Emoções.

    Beijos,

    Furatdo.

    ResponderExcluir
  16. Querida Dorli
    Uma noiva de luto! Como deve doer!
    Nem tudo na vida acaba com um final feliz!
    Assim, ficou com uma narrativa aberta, que sempre poderá continuar.
    Parabéns.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderExcluir