terça-feira, 8 de novembro de 2016

Solidão




A solidão quando se é jovem é tranquila: morar sozinha, fazer o que quer, recebe mesada dos pais, estuda, vai a balada com o namorado, mas quando ele fala em casamento ela desfaz o namoro, pois não quer compromisso, não quer dividir sua vida com ninguém, quer estar sempre só.
De repente a velhice chega e para ela a solidão é a pior miséria.

15 comentários:

  1. Boa noite, querida Dorli!
    Cada um faz suas escolhas...
    Sejamos felizes com Deus no coração!
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  2. Como já disse a Rosélia, as escolhas são feitas...

    bjs, chica

    ResponderExcluir
  3. Como dizem,cada um tem seu livre arbítrio e se ela escolheu morar só,tem que acostumar-se com a solidão.
    Muito triste viver assim.
    Bjs Dorli.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  4. Mesmo para quem gosta da solidão à uma etapa da vida que se torna difícil.
    Um abraço e continuação de boa semana.
    Andarilhar

    ResponderExcluir
  5. Não gosto de solidão, estou só por falta de opção rs...

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  6. Pode não ser amiga!
    ... mas claro que acontece a muitos!!!
    bj

    ResponderExcluir
  7. Oi Amigos,
    Coloquei essa postagem e nela tinha um segredinho que ninguém percebeu.
    Cada um tem seu livre arbítrio de morar sozinho, desde que seja independente e tenha seu salário que dê para viver só.
    Quando jovem até eu gostaria de morar sozinha e com uma gorda mesada alugaria um apartamento em Guarujá e o papai além do aluguel, ganharia uma gorda mesada para viver numa cidade grande.
    Beijos
    Minicontista

    ResponderExcluir
  8. Que lindo ficou esse blog!! De muito bom gosto.
    Quanto à solidão, depende...solidão é um estado de espírito e construídos por nós; tem gente que gosta de viver sozinho, aprendeu a viver só, outros não, gostam de dividir tudo e para esses, é somar.
    Beijo, Dorli!
    Inté.

    ResponderExcluir
  9. Toda la razón, cuando se es joven todo se vive mejor, por esto hay que ir preparándose en todos los aspectos a la vejez. Un abrazo.

    ResponderExcluir
  10. Tudo é novo, aqui, amigo!
    Até texto é diferente.
    Tudo é belo e a gente sente
    O atual com um pé no antigo.

    O pé que olho e consigo
    Sentir ser de sorte ou quente
    É o do poeta, de repente
    Renovado a ir à frente.

    Parabéns! Está bonito
    Este espaço que é infinito
    No caminho da poesia

    Que acompanha o antigo rito
    Do real com ar de mito
    Por concreto em fantasia.

    Lindo, lindo, o novo espaço! Parabéns! Laerte.

    ResponderExcluir
  11. Desculpe-me: errei a postagem, mas não perdi a viagem pelo poemeto cair bem também aqui neste maravilhoso espaço. Sim, pois, a solidão: Ah solidão que tristeza / ser solitário entre gente / Dói mais do que, pois, se sente / A indiferença e frieza / Do irmão que trás acesa / Em suas mãos, de repente / A luz que ilumina à frente / E sem nos ver com clareza / A solidão é doença / Se nós tivermos a crença / Que somos "feliz" sozinhos. / Então me escute o sermão / Ser feliz é ser irmão / Do irmão por mesmos caminhos. Grande abraço. Laerte (Silo).

    ResponderExcluir