quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Eu sou...




Eu sou um campo de girassóis que faz bronzear todo teu corpo, sou a chuva que te molha, sou o alvorecer que te faz acordar para a vida, sou o Sol escaldante que te faz correr de mim, sou a sombra que te protege do Sol, sou a tua sombra que cuida de ti, sou o homem que te ama eternamente e esse homem não pode amar-te e nem beijar-te, pois só me sobra tua sombra.

domingo, 16 de outubro de 2016

sábado, 15 de outubro de 2016

Dia do Professor




Professor é aquele que se coloca no lugar dos alunos, só assim será um bom professor, igualar-se a eles, para que haja uma troca de amor e de conhecimentos. Todos temos uma história a contar.
Professora Dorli

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Fuga




Quero fugir de mim mesma
Quem sabe um outro lugar
A chuva gelada molha os pés
E minha amarga imaginação
A estrada não tem fim
Tento correr as pernas travam
A chuva forma os charcos
Tenho frio não consigo correr
Como vou fugir de mim mesma?
O pôr do sol me coloca medo
Cansada, sentei à beira da estrada
Meu amor veio ao meu encontro
Me abraçou e voltamos para a vida

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Nossa Senhora Aparecida(2)




Nossa senhora retire a nossa dor da carne e a do espírito. A da carne nossos olhos jorram lágrimas de dor, tornando nossa vida quase que insuportável.
Sei que sofreu a dor do seu Filho morto e, quantos hoje são mortos de uma forma brutal, de doenças incuráveis gritando de dor, a dor do abandono dos velhinhos nos asilos e na mendicância nas ruas.
Nossa senhora, padroeira do Brasil, cuide de todas as crianças do mundo, pois as barbáries que fazem com elas são inadmissíveis, pois elas são anjinhos na Terra.
Eu não gosto de ir a velórios, pois lá dentro os "amigos" do falecido se abraçam e depois que o defunto baixa sepultura saem conversando e  rindo. Mas a morte chega para todos.
Eu tenho uma pequena imagem que ganhei de presente por ocasião do primeiro casamento em 1971, ela está esfarelando dia após dia. Eu não sei viver sem ela, iremos morrer juntas.
Mãe santa, eu não vou à igreja, tenho meus motivos que já lhe falei em pensamento. Os jovens vão à igreja e ficam se beijando mostrando tudo que deveria ser coberto, pelo ao menos na casa de Deus, respeito. Os padres não falam nada: do que eles iriam viver? Sem os dízimos, as quermesses, os bingos que as beatas lhe proporcionam uma vida de luxo.
Eu lembro quando era mocinha e fui confessar, havia muitos padres, ajoelhei no confessionário e o padre começou a querer saber demais, ele que deveria juntar suas ovelhas, as dispersavam e não adiantava falar com nossas mães que além de não acreditarem, nos espancavam.
É por isso que quase não vou à igreja, pois eu pecaria muito mais dentro da igreja do que fora vendo o espetáculo que os jovens fazem.
Por que será que o padre não fala nada?

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Dia da criança- amanhã: 12/10/2016


Crianças são anjos diferentes que caíram dos céus
Ame-os




criança arteira

Sou criança arteira
Saí de casa escondida da mamãe
Peguei meu guarda- chuva
Pois estava chovendo
Subi no banco
Só pra ver o arco-íris
 




sábado, 8 de outubro de 2016

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

A solidão do fim




O que faço de mim, aos oitenta anos se nem um filho me quer, asilo é minha penúltima morada. Aí faço um retrocesso na minha vida, ainda jovem casada com João, que Deus o tenha, muitos filhos, mas feliz
Hoje sou o estorvo dos meus filhos, meu consolo é que um dia eles também irão envelhecer e seus filhos os jogarão num asilo fétido como fizeram comigo.
Tenho saudades dos meus filhos pequeninos que toda hora me chamavam de mãe daqui e dali. Eu era feliz com a criançada que ao redor do fogão a lenha, os milhos verdes estalavam para assar.
Corriam atrás de três galinhas aos domingo, onde fazia uma panelada de carne de frango caipira e um prato de polenta, cada um.
Já saciados saíam correndo para brincar no campo chegando quase ao pôr do sol, as tinas estavam cheias de águas e sabonetes e bucha para se esfregarem, as meninas iam ao banheiro e saiam lindas e cheirosas
Cresceram tinham que ajudar seu pai na rocinha, metade iam para a escola de manhã e a tarde trabalhavam e vice/versa. Enfim todos fizeram até o ginasial.
De repente fui perdendo meus filhos rapidamente por uma cidade grande: trabalho em casa de família, à tarde iam estudar. Cada um se virou.
Desde então, nunca mai vi meus filhos, devo ter netos, bisnetos... Assim é a vida de muitos. Meu velho, minha companhia morreu há dez anos
Agora eu sou o estorvo que nem os urubus querem ver.

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Pequena Grande Mãe - homenagem a Santa Cruz das Palmeiras. S/P







Uma pequena homenagem a minha cidade


cana

A minha cidade era linda, pequena e tinha trabalho para todos, era por isso que fazer uma casa não era difícil, todos dividiam com os vizinhos as coisas boas que faziam e no quintal das casas havia frutas, legumes, verduras a vontade.
Ao redor da cidade só flores e minas de águas, não havia bêbados, viciados( só no cigarro de palha e charuto.que fedor!! kkk).
A população maior era nas fazendas: café, laranja, feijão e muitas outras coisas que nem me lembro mais, o importante é que não havia naquela época violência.
Todos éramos felizes, um vizinho ajudava o outro, e o mais engraçado ninguém trancava as casa só à noite, nas baixadas havia muitos chiqueiros de porcos.
Hoje a cidade ficou fria, temos que gradear nossas casas e cada um tem suas chaves e para entristecer mais a cidade,  ela é rodeada de cana-de-açúcar.
Mas espero não demorar mudar daqui e comprar uma casa numa cidade turística, isso se a morte não chegar antes dos meus planos.

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

A jovem e a flor





Meire achou uma rosa no chão,
pegou-a e foi sentir seu perfume, cheirou. 
Ela sabia que a linda rosa ia morrer
Levou-a pra casa colocou-a num vasinho
Com água cristalina, parece estar a sorrir
No outro dia a rosa deitou no vaso
A água já tinha um odor fétido
Olhou a rosa e chorou, a água estava podre
Ela morreu...Quem a assassinou?
Um malvado...



domingo, 2 de outubro de 2016

Roupa suja


Oi nono, ouça que briga feia que nosso vizinho está fazendo, desse jeito o homem vai matar sua mulher; neta ouça o que seu nono vai falar: roupa suja se lava em casa e explicou.

sábado, 1 de outubro de 2016

A rosa roxa

                  A  rosa roxa
          










            


A rosa roxa me faz muito mal 
Adoro a rosa vermelha que é vida
A rosa roxa da sensação de morte
A rosa vermelha é vida e da prazer
A rosa roxa gosta de música fúnebre
A rosa vermelha tem perfume do amor
A rosa roxa não gosto do seu perfume 
Quero plantar muitas rosas vermelhas
E vê-las florescer por muito e muitos anos
Não quero que elas morram antes de mim
A rosa roxa morreu por falta do meu amor
Perdoa-me se não lhe dei as devidas atenções
Sou sincera, amo a rosa vermelha que me faz feliz

                     rosa