quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

"Mãe": eu odeio você ( caso verídico)



imagem aleatória


As surras a gente não esquece, não doem tanto como as palavras de ódio que deferidas na minha infância, portanto: eu odeio você minha mãe. Hoje, já adulta sei que preciso perdoar para ganhar o céu, mas está difícil. Alguém pode me ajudar?


6 comentários:

  1. Às vezes perdoar é tão difícil!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. O pior é que até se pode perdoar. Mas não se esquece!

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Dorli,jamais temos que odiar nossas mães,por mais que elas tenham feito algum mal,tenham nos abandonado ou mal tratados com palavras de ódio.
    Perdoar esse é o melhor caminho,pois quem é mãe como eu,você e outras,sabem que se um filho nos odiar,mesmo já falecidas estaremos chorando por saber que nossos filhos(as) nos odeiam.
    O meu conselho é esse:Perdoar,não para ganhar o céu,mas para sentir-se aliviada desse sentimento terrível que é o ódio.
    Bjs,fique com Deus e um lindo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  4. Onde não mora o Amor, é porque existe (ainda) perturbação.
    Amar é remédio para a Vida.

    Beijo
    SOL

    ResponderExcluir
  5. Um triste relato amiga.
    Na primeira instancia me assusta, mas os sentimentos humanos são vastos e penso que o agredido jamais esquece.
    Muito triste situação.
    Bjs e bom fim de semana com paz e harmonia.

    ResponderExcluir
  6. Las huellas quedan aunque se perdone.
    Un feliz fin de semana.

    ResponderExcluir